ONU pressiona governo Bolsonaro sobre milícias, violência policial e desaparecidos da ditadura militar

O Grupo de Trabalho sobre Desaparecimentos Forçados ou Involuntários da ONU irá analisar o governo do presidente Jair Bolsonaro, que vai ser colocado sob pressão a partir desta segunda-feira.

O Comité cobrará respostas do governo brasileiro sobre a violência policial, as milícias e a atitude do Estado em relação aos desaparecidos durante a ditadura militar (1964-1985), dois aspectos os quais Bolsonaro abriu polémicas por defender posturas que violam o direito internacional, escreve o jornalista Jamil Chade, do UOL.

O organismo pretende esclarecimentos sobre as investigações que tenham sido realizadas no país sobre as milícias, sobre o desmonte dos mecanismos de monitoramento e prevenção da tortura e ainda sobre o que o país tem feito para investigar os autores dos crimes cometidos durante a ditadura militar.

A reunião contará com representantes da sociedade civil brasileira e com autoridades diplomáticas e do Ministério dos Direitos Humanos, Família e Mulher, tutelado pela pastora evangélica Damares Alves.

Nos últimos meses, o Comité já havia questionado previamente o governo Bolsonaro, mas as respostas foram consideradas omissas e insuficientes pela ONU.

About the Author

Marcelo de Andrade
Editor do Diário 560. Jornalista e Fotojornalista há 25 anos.

Be the first to comment on "ONU pressiona governo Bolsonaro sobre milícias, violência policial e desaparecidos da ditadura militar"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*


Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.