Instituições bancárias éticas europeias concordaram em aumentar o seu apoio à Economia Social

As instituições bancárias éticas europeias concordaram recentemente em aumentar o seu apoio à Economia Social (ES) e acordaram num plano estratégico para incluir na sua oferta serviços não financeiros e apoio a projectos de transformação social.

Isto foi decidido por cerca de 200 profissionais do sector de diferentes países na conferência anual da Federação de Bancos e Financiadores Éticos e Alternativos (Febea), realizada em Barcelona, explicou a Fundação Ethical Finance, em declarações à agência EFE.

O encontro, organizado em parceria com a Fiare Banca Etica, serviu para acordar, no âmbito de um novo plano estratégico, a implementação de serviços de apoio e instrumentos não financeiros, que, para além do crédito, são normalmente exigidos às instituições da ES para projectos que promovam a transformação social.

O encontro registou ainda um crescimento experimentado pelas instituições bancárias éticas europeias, com taxas de 5 a 10%, e a resiliência que demonstraram tanto no período pandémico, como desde a crise económica de 2008.

A abertura do evento incluiu um discurso em vídeo da Vice-Presidente do governo espanhol e Ministra do Emprego e Economia Social, Yolanda Díaz.

About the Author

Diário 560
Jornal online especializado em Economia Social