Vem

Excerto de "Afrodite", de Botticelli

Vem
Não esperes pelo esperma tardio
Das fontes que hão-de jorrar
O cio das feras
Pelo sobressalto da espera,
Nem sequer acordes
A soturna escadaria,
Ela geme baixinho
Enquanto te aguardo.

Liberta-me apenas do negrume

Destes olhos.

© Célia Moura – in “No Hálito De Afrodite” (p. 26) – Out./2018

About the Author

Diário 560
Jornal online especializado em Economia Social