Prémio Nacional de Turismo volta-se aos novos tempos em cenário de pandemia

As candidaturas ao Prémio Nacional de Turismo (PNT), decorrem até 15 de setembro. A edição deste ano adapta o projeto aos desafios dos novos tempos: turismo em rede, turismo autêntico, turismo de confiança, turismo inteligente e turismo sustentável.

A iniciativa do jornal Expresso e do banco BPI tem o apoio institucional do Ministério da Economia e do Turismo de Portugal.

O Prémio Nacional de Turismo pretende premiar os agentes de turismo que desenvolveram novas soluções para responder aos desafios do setor, escolhendo as melhores empresas, práticas e projetos.

Em 2019 concorreram 464 empresas e projetos de todo o país, tendo a Região Centro liderado as candidaturas com 139, ou seja, 30% do total.

Todas as Regiões de Turismo definiram um plano estratégico para fazer face aos desafios criados pela pandemia de covid-19.

Primeiramente, as entidades apostam no mercado nacional, que tem vindo a crescer de forma estruturada nos últimos anos. Os residentes nas próprias regiões estão a ser incentivados para ir conhecer locais antes mais frequentados por turistas estrangeiros.

Numa segunda fase, a aposta está centrada nos turistas espanhóis, que conhecem bem a oferta portuguesa, tanto no litoral como nos territórios do interior.

Numa terceira fase, quando as fronteiras se abrirem na totalidade e os voos internacionais retomarem a normalidade, o objectivo será recuperar os mercados tradicionais da Europa (como a França, Alemanha e Inglaterra) e os que estavam a crescer de forma sustentada antes da pandemia, como o dos Estados Unidos, Canadá e o Brasil.

(Fonte e foto: premionacionalturismo.pt)

About the Author

Marcelo de Andrade
Editor do Diário 560. Jornalista e Fotojornalista há 25 anos.