O Jovem Karl Marx no Rio

A exemplo da iniciativa da Cooperativa do Povo Portuense em realizar uma exibição seguida de debate acerca do filme “O jovem Karl Marx”, no passado 21 de Março, os brasileiros realizam um ciclo de cinema onde promovem esta obra.

Maio foi o mês de aniversário de Karl Heinrich Marx. Se estivesse vivo, o alemão de Trier, estaria completando 202 anos no dia (5 de maio). Goste-se ou não, o impacto de sua obra mudou a história da humanidade, e talvez seja por isso que sua vida e ideias tenham sido soterradas pelas camadas de acontecimentos que fizeram do século XX um dos períodos mais turbulentos da história.

É preciso, portanto, voltar aos textos originais e ao contexto biográfico que moldou seu pensamento, em especial aos anos de formação intelectual e política. Estrelado por August Diehl, Vicky Krieps e Stefan Konarske, ‘O Jovem Karl Marx’ (2017) contribui nessa direção, mergulhando o espectador na intimidade do personagem para mostrar a importância de Engels e Jenny na formulação do seu pensamento.

Muito da autoria da obra de Marx deve-se ao amigo e à mulher, que esteve sempre ao seu lado numa vida marcada pelo idealismo e sofrimento. A realização é do haitiano Raoul Peck, indicado ao Oscar de melhor documentário por ‘Eu Não Sou Seu Negro’ (2016). (Fonte: Pressenza)

O Cineclube itinerante Marighela organiza debates a partir de sessões de cinema, produz podcast e promove conteúdo cultural nas redes em defesa da igualdade, liberdade e democracia

O Jovem Karl Marx, 2017. 1h 58min
País: França, Alemanha, Bélgica
Realização: Raoul Peck
Elenco: August Diehl, Stefan Konarske, Vicky Krieps
Assista: https://bit.ly/3c8Mfsy

About the Author

Marcelo de Andrade
Editor do Diário 560. Jornalista e Fotojornalista há 25 anos.