Líder histórico da Guiné Bissau Domingos Simões Pereira encontra-se com a comunidade no Porto

Domingos Simões Pereira estará de visita à cidade do Porto no próximo sábado, 9 de outubro, pelas 15 h, com lotação já esgotada, no Auditório da Cooperativa do Povo Portuense.

O presidente do Partido Africano para a Independência da Guiné e Cabo Verde (PAIGC), partido histórico da independência da Guiné-Bissau, vai encontrar-se com a comunidade guineense e amigos residentes na cidade do Porto.

O deputado e ex-primeiro-ministro Simões Pereira esteve recentemente em conflito com o actual governo da Guiné-Bissau, que acusa de o ter impedido de assumir a chefia de uma missão de observação eleitoral da União Africana (UA) em São Tomé e Príncipe.

Convidado pela Comissão da UA para chefiar a missão de observação eleitoral à segunda volta das presidenciais em São Tomé e Príncipe foi impedido de viajar. Segundo Simões Pereira, as autoridades de Bissau manifestaram “reticências” em relação à sua indigitação, tendo pressionado a UA a cancelar a sua missão.

Origens

Desde o liceu que integrou, em 1979, os quadros da Juventude Africana Amílcar Cabral (JAAC), ala jovem do PAIGC. Seu pai chegou a ser preso pela PIDE, acusado de colaboração com “grupos nacionalistas”.

Gradua-se em Engenharia Civil e Industrial pela Universidade Nacional Politécnica de Odessa (1988). Naquela cidade da Ucrânia, ainda soviética, integra a Associação dos Estudantes da Guiné-Bissau.

De volta a Guiné Bissau, parte para Cacheu para trabalhar na Cooperativa Unidade e Progresso (CUP), uma das maiores empresas de construção na altura, onde chegou a ser diretor-geral adjunto.

Nos Estados Unidos conclui um mestrado em Ciências Técnicas da Engenharia Civil, na Universidade do Estado da Califórnia, e em 2016 doutorou-se em Ciências Políticas e Relações Internacionais pela Universidade Católica de Portugal.

Política

Domingos Pereira regressa à Guiné-Bissau em julho de 1994, e acompanha os últimos dias da campanha eleitoral para as primeiras eleições multipartidárias no país.

Com a vitória do PAIGC, é chamado ao governo e assume as funções de ministro das Obras Públicas em 2004. Ganhou prestígio como conselheiro do Primeiro-Ministro.

Foi então eleito membro da comissão permanente do Bureau Político do PAIGC, e continuou a servir como Secretário Executivo da CPLP.

Após 8º Congresso do PAIGC, na cidade de Cacheu, foi eleito para a liderança do partido. Finalmente, entre 2014 e 2015 cumpre funções como primeiro-ministro da Guiné-Bissau.

About the Author

Marcelo de Andrade
Editor do Diário 560. Jornalista e Fotojornalista há 25 anos.