Grilo

Décimo mês, Outubro, ameno, quarta-feira, dia vinte e seis, de dois mil e dezasseis, nove menos dez, Vila Nova de Gaia, soa Lambreta, do sublime, gigante, e agradável, António Zambujo, confirmação de sms no meu telemóvel, número desconhecido,

Boa noite Ana, deus tem um propósito para cada um de nós, e tu não foges à regra, da mesma maneira que ele me inundou de amor, e de misericórdia, quer, também, fazer o mesmo contigo, mesmo sendo tu cética, experimenta a presença dele, fala-lhe, nem que seja em pensamento, ele tem a paz que, tanto, precisas, e procuras, Respondo, Quem és?, Isso não é, de todo, relevante, e foge, totalmente, ao conteúdo da mensagem enviada, prefiro não me identificar, além disso, sou, apenas, alguém que teve a sua vida transformada por deus, e que sente necessidade de espalhar a verdade por pessoas que, como tu, ainda não tiveram um, o, encontro, real, com Jesus, Como a minha família é cristã, sempre fui à igreja, todavia, durante a adolescência, perdi-me, entre charros, relações promíscuas, e afins, andei iludido todos estes anos, Recentemente, decidi buscar, beber, de novo, a deus, pressentia um, enorme, vazio, tendo, à partida, e, aparentemente, tudo, quando o chamei, de olhos fechados, senti-o, em presença, e amor, de tal forma que caí, de joelhos, a chorar, Desde então, afastei-me de tudo que se intrometa na minha vida, no meu caminho, na minha comunhão com ele, e nunca, nunca, estive tão feliz como agora, nada, mas mesmo nada, se compara ao amor dele por ti, é verídico, não ficcionado, acredita, duradouro, ele ama-te de um jeito que nem achas, ser, possível, Nesse dia, a parábola era sobre o filho pródigo, que opta pelos prazeres mundanos e só volta, para casa do pai, quando tudo perde, sabendo que não é digno de ser chamado de filho, implora-lhe ser aceite como empregado, o pai não o castiga, abraça-o, recebe-o e festeja, com alegria, aquele momento, aquela descrição era eu, era minha, retratei-me, automaticamente, sinal do divino a querer-me com ele, Ando a aprender a amar o próximo, a fazer o que gostava de receber, devo isso ao nosso criador, Ana, sou teu irmão, clama por ele e sentirás uma tranquilidade, e segurança, novas, nunca antes vistas, ou conhecidas, é isso que, mais, importa, um dia, o nosso corpo morre, e a alma fica, é eterna, deus trabalha nas nossas vidas quando menos esperamos, as provações, às vezes, também servem para crescermos espiritualmente, porque é nessas alturas que nos sentimos pequenos, nos questionamos, mais aprofundadamente, e nos abrimos à perceção, A minha fé não podia basear-se em ignorância, quando quiseres ir a um culto, vens comigo, ao sítio onde costumo encontrar-nos, vais gostar, vais ver, pesquisa sobre o pai, se tiveres alguma dúvida, ou, se quiseres saber, mais, diz-me, pergunta-me, podes, sempre, mandar-me sms, eu ajudo-te, eu esclareço-te, eu acompanho-te, sempre, Já fiz a minha parte, orarei, igualmente, por ti, pedirei que ele te toque, e te abençoe, que ele te abra os olhos, a tempo, Descansa, bem, menina,

Volvidos dois anos, quatro meses, e vinte e um dias, de voo, extremamente, desejado, gozado, peculiar, autónomo, estou de regresso, muito, mais, prudente, preparada, apta, convicta, espontânea, predisposta, disponível, atraente, aberta, conectada, recetiva, sensitiva, intuitiva, emocional, desafiada, franca, privilegiada, rica, comprometida, focada, seletiva, limpa, forte, leve, compreensiva, curiosa, informada, re, ativa, enérgica, luminosa, guiada, rendida, viva, preenchida, inteira, completa, mais singular, mais eu, mais Ana, mais minha, mais tua, mais nossa, Ora, quem muda, céus ajuda, Obrigada por me mostrares, sempre, o copo, meio, cheio.

About the Author

Ana Marques
Bem-vindos, apresento-vos a Ana, Ana em homenagem à avó materna, Ana para os demais, Anita para os mais íntimos. Nasceu a 7 de Setembro de 1989 no Porto, cidade que a viu crescer. Filha única, cedo se revelou uma menina doce, pensante e próxima das letras. Primeiro, estudou Línguas e Literaturas na ESAH (Escola Secundária Alexandre Herculano), depois, ingressou na ESE (Escola Superior de Educação), onde se licenciou em Educação Básica. Daqui, partiu para a Universidade do Minho, vindo a frequentar o Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico. A nível profissional, já abraçou outras áreas, como a comunicação e a restauração, porém, é na educação e na escrita que se revê e reinventa todos os dias. Nesse sentido, em 2016, colaborou, na qualidade de cronista, para o site Mais Opinião, atualmente, encontra-se extremamente feliz, como se a sua vida tivesse dado uma volta de 560º, por poder participar neste diário.