Cooperativas argentinas ampliam acordo para chegar directamente ao consumidor

Membros das federações de cooperativas Fecofe, Fecolac e da UTT.

Agregar massa crítica para oferecer aos consumidores mais alimentos a preços populares e criar uma rede que favoreça produtores e trabalhadores são os objetivos do acordo “Alimentos Soberanos, Justos e Cooperativos”, estabelecido em setembro do ano passado pelo Sindicato dos Trabalhadores da Terra (UTT, na sigla argentina) e pela Federação das Cooperativas Federadas (Fecofe).

Recentemente, também a Federação de Cooperativas de Laticínios (Fecolac), com sede em Córdoba, na Argentina, também aderiu ao acordo. A Fecolac é composta por 10 cooperativas de Córdoba, possui 9 instalações industriais, onde processa 600 mil litros de leite por dia e emprega 450 pessoas.

“A disponibilização de produtos cooperativos, justos e solidários à sociedade sempre foi o nosso lema e, a partir deste acordo, através do qual acessamos o canal de vendas desenvolvido pela UTT, atingiremos diretamente os consumidores, sem intermediários”, garantiu à agência La Nacion, citado pela GestarCoop, Sergio Ramón Vigliano, da Fecolac.

Vigliano afirma ainda que “os produtos que saem das cooperativas sofrem sobretaxas de preço de até 150% nas gôndolas dos mercados e na situação em que estamos como país, muitos desses produtos, com esses preços cobrados, não chegam à mesa dos famílias”.

As lojas e armazéns da UTT surgiram há pouco mais de três anos, e hoje está presente em 15 províncias e representa cerca de 16.000 pequenos produtores. Nos armazéns da UTT encontra-se verduras, hortaliças e frutas, laticínios, doces e sumos obtidos de frutas, molho de tomate, chá e vinhos, entre outros produtos cooperativos. Leia o artigo completo. (Fonte: GestarCoop)

About the Author

Diário 560
Jornal online especializado em Economia Social