Artigo de técnico da Cases faz alusão às 100 maiores cooperativas portuguesas

No âmbito das suas atribuições, compete à Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) “recolher os elementos referentes às cooperativas ou organizações do setor cooperativo que permitam manter atualizados todos os elementos que se lhes referem (…)” (Art.º 4.º, n.º 4, alínea e) dos Estatutos).

Nesse sentido, dando continuidade a uma prática iniciada pelo anterior INSCOOP, a CASES dá cumprimento àquela disposição através, entre outros instrumentos, da realização do ranking das 100 maiores Cooperativas de 2018, que será divulgado no nº 9 da revista digital da CASES, “Leituras & Debates” na véspera do dia Internacional das Cooperativas que é celebrado, a nível global, no próximo dia 4 de julho.

Este estudo coincide assim, neste ano de 2020, com o dia Internacional das Cooperativas e, embora em níveis diferentes, estes dois eventos são momentos importantes para a afirmação e visibilidade de um setor com uma longa e rica história que, pela sua relevância, se encontra delimitado na Constituição da República em pé de igualdade com os sectores público e privado.

À semelhança da linha editorial anterior, esta publicação pretende divulgar os dados estatísticos mais relevantes relativos às 100 maiores Cooperativas Portuguesas ordenadas pelo volume de negócios e às 20 maiores Cooperativas de Crédito ordenadas pelo total do ativo líquido. Para uma visão mais concreta da diversidade e riqueza do setor cooperativo também as cinco maiores cooperativas por ramo cooperativo são apresentadas.

Este novo estudo procurou apresentar também informação mais detalhada e analítica, incluindo novos indicadores e uma secção dedicada aos contributos das 100 maiores cooperativas de 2018 para alguns dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas inseridos na Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável.

Estes objetivos preveem ações variadas que abrangem, entre outras, a erradicação da pobreza e da fome, o combate às mudanças climáticas, a promoção da dignidade e da igualdade e o crescimento económico e social inclusivo. A sua concretização requer uma ação à escala mundial de governos, sociedade e empresas, sendo que, o sector cooperativo, enquanto conjunto de organizações fundadas pela força de valores e princípios de cooperação, ajuda mútua e solidariedade, mas também enquanto motor do crescimento económico e do emprego, tem um papel crítico a desempenhar e um interesse próprio em contribuir para alcançar esses objetivos de sustentabilidade, como aliás evidenciado no relatório.

Pretende-se, desta forma, disponibilizar informação estatística sobre o setor cooperativo aos dirigentes, cooperadores e trabalhadores do setor, aos estudiosos que se debruçam sobre o tema e ao público em geral, na esperança de contribuir para a visibilidade do trabalho deste sector que, estando presente em diversas áreas de atividade e do tecido empresarial nacional, muito contribui para dar resposta às necessidades da população.

Por último, importa referir que a disponibilidade, quantidade e qualidade da informação necessária para a elaboração de relatórios como este depende da colaboração das cooperativas no momento de submissão dos atos de comunicação obrigatória, em concreto através do preenchimento dos vários campos do Portal de Credenciação da CASES, pelo que se estende um agradecimento especial a todas as cooperativas que permitiram a realização deste documento.

Eduardo Pedroso, Responsável pelas Estatísticas e Base de Dados da CASES

About the Author

Diário 560
Jornal online especializado em Economia Social